joão e natanael

joão e natanael

nazário e zé baixinho

nazário e zé baixinho

edézio e joão

edézio e joão

dannilo e danilo

dannilo e danilo

humberto e márcia

humberto e márcia

givaldo e doriel

givaldo e doriel

amanda e wando

amanda e wando

segunda-feira, 25 de junho de 2018

Rússia-2018 iguala recorde e já é a Copa dos gols contra e dos pênaltis.

Muitas palavras poderão ser usadas para definir a Copa do Mundo da Rússia. Mas, mesmo antes de seu final, já dá para cravar que estamos diante do Mundial dos gols contra e dos pênaltis marcados. Com o gol de Cheryshev na partida desta segunda (25) contra o Uruguai, confirmado pela Fifa como gol contra, 2018 iguala o recorde do Mundial de 1998 na França em número de tentos contra a própria meta, com 6.

A marca foi atingida em apenas 34 partidas. Além de Cheryshev, já marcaram contra na competição atual: Aziz Bouhaddouz (Irã), Aziz Behich (Austrália), Oghenekaro Etebo (Nigéria), Thiago Cionek (Polônia) e Ahmed Fathi (Egito). A Copa de 2014, no Brasil, por pouco não igualou este recorde. Na ocasião, cinco jogadores marcaram contra o próprio gol. A curiosidade é que Cheryshev entrou para um seleto grupo de jogadores que marcaram gols a favor e contra no mesmo Mundial. A estatística chega a ser cruel com meia, que é o artilheiro da Rússia na Copa com três gols.

No primeiro Mundial com o uso do VAR (árbitro assistente de vídeo), a Rússia já igualou o recorde de mais penalidades marcadas em uma única edição da Copa, com 18, igualando outras quatro edições. Se a falta bem anulada em cima de Neymar contra Costa Rica fosse confirmada, por exemplo, o evento russo estaria isolado na estatística.

Nenhum comentário:

Postar um comentário